Voz Oblíqua: Julho 2005
 
    The Voice Mail

 

Voz Oblíqua

Voz: [subst. fem.] Produção de sons emitidos no ser humano pela laringe com o ar que sai dos pulmões; grito; clamor; linguagem; fig. opinião; poder; inspiração; conselho; sugestão. Oblíqua: [adj. fem.] enviesado; torto; vesgo; fig. indirecto; dissimulado; ambíguo; dúbio.
 
 
 

Disse-se em...

  • Fevereiro 2005
  • Março 2005
  • Abril 2005
  • Maio 2005
  • Junho 2005
  • Julho 2005
  • Agosto 2005
  • Setembro 2005
  • Outubro 2005
  • Novembro 2005
  • Dezembro 2005
  • Janeiro 2006
  • Fevereiro 2006
  • Março 2006
  • Abril 2006
  • Maio 2006
  • Junho 2006
  • Agosto 2006
  • Dezembro 2006
  • Janeiro 2007
  • Fevereiro 2007
  • Março 2007
  • Abril 2007
  • Maio 2007
  • Junho 2007
  • Current Posts
  • Marcadores / Categorias

  • Adopção
  • Agradecimentos
  • Amigo(a)s
  • Animais não-humanos
  • Apelos
  • Blogs
  • Confissões
  • Contribuições
  • Correntes
  • Crónicas
  • Dedicatórias
  • Efemérides
  • Emoções
  • Entretenimento
  • Exasperações
  • Família
  • Filmes
  • Glórias e Vitórias
  • História e Estórias
  • Imagens
  • Livros
  • Lugares
  • Música
  • Momentos embaraçosos
  • Natal
  • Novidades
  • Oops...
  • Opiniões
  • Páscoa
  • Politiquices
  • Recordações
  • Retóricas
  • Revoltas
  • Rir é o melhor remédio
  • Solidariedade
  • Sugestões
  • Teasings
  • Teatro
  • Televisão
  • Testes
  • Trabalho
  • Vida real

  • Vozes intercessoras

  • A Ouvinte do Bikini Laranja
  • About last Night
  • Adorei estes Dias
  • Amar-ela
  • Baton de Cieiro
  • Blogotinha
  • Cidade Mágica
  • Confidências
  • Cumentarius Ignorantes
  • Divas & Contrabaixos
  • Efeito Fotoeléctrico ou Introdução à Teoria da Relatividade Restrita
  • Espelhos e Labirintos
  • EuE
  • Fábulas
  • Fabulosamente Louca
  • Farinha Amparo
  • Francisco del Mundo
  • Lote 5 - 1º Dto.
  • Mesa de Café
  • Nimby Polis
  • Notas de Aveiro 1.9
  • O Blog que não e meu
  • O Polegar Verde
  • Palavras ao Acaso
  • Palavras entre Palavras
  • Pandora's Box 2.0
  • Pé de Meia
  • Pseudoblog
  • Respostas Paralelas
  • Voz em Fuga
  • Unknown
  • A Revolta dos Pastéis de Nata
  • Carlos Moura
  • Corpo Dormente
  • Espero bem que não...
  • Gato fedorento
  • João Seabra
  • Blogopédia
  • Consultório da Kitty
  • Designed by Xilla

      Hit Counter

      Contagem decrescente para a caça mais atroz do mundo inteiro...

      ANIMAL

     
    In A Revolta dos Pastéis de Nata domingo, julho 31, 2005

    Por que razão a "Gente" "Vip" e as "Caras" cheias de "Lux" invadem o Algarve em Agosto? Vão à procura de "Flash!"?


    O contrário de "estar no Algarve" é "não estar no Algarve"!

    [Igual a si própria: Lili Caneças!]

    Etiquetas:

    Laura (continuação) sábado, julho 30, 2005

    Tudo está bem, quando acaba bem!!!

    Pelo post em baixo, devem ter lido nas entrelinhas o meu desespero por tentar ajudar a cadelinha Laura! A história dela está longe de ser simples e clara. A verdade é que nos últimos 7 dias tenho tentado juntar toda a informação para avaliar o melhor modo de a ajudar...

    Há exactamente uma semana estava a chegar de visita a uns amigos em Vila do Conde, quando junto do condomínio onde eles moram, fui recebida entusiasticamente por esta menina (sempre me disseram que os animais percebem quem gosta deles, e toda a minha aura o deve denunciar).

    Depois de lhe ter feito as devidas festinhas fui informada pelos meus amigos que a cadelinha estava abandonada por aqueles lados há cerca de 3/4 semanas!

    O meu ficou logo pequenino... Apesar de sabermos que estas histórias acontecem em toda a parte, quando somos tocados por um destes amigos especiais e carentes, o cenário fica diferente!

    Antes mesmo de saber mais pormenores sobre esta história encetei alguns contactos para poder garantir um futuro em segurança a esta amiga. As coisas começaram a urgir quando no Domingo fui avisada que no dia seguinte a Laura ia ser levada para o canil. Não o podia permitir, mas na impossibilidade de a acolher em casa dos meus amigos (têm crianças pequenas, por isso todo o cuidado com o seu sistema imunitário é pouco), tive de agir para que percebessem que a partir daquele momento a Laura tinha alguém responsável por ela: coloquei-lhe uma coleira em volta do pescoço e prendi à mesma um bilhete em forma de pergaminho anunciando que na data X aquela menina iria deixar de incomodar aqueles que se acham mais importantes que os animais não-humanos, para poder sequer tolerar a ideia de coexistir com eles no mesmo espaço (ou por outras palavras, a Laura ia deixar de os incomodar)!

    Depois de inúmeras respostas negativas por parte de alguns albergues (desde o Norte, até ao Centro do país), finalmente alguém se dignou a arranjar um espaço para a minha nova amiga num canil próximo de Aveiro (curiosamente o senhor que lá trabalha adora cães, e alberga-os, sem os matar, sem o conhecimento da Câmara Municipal).

    De qualquer modo ficou combinado que a Laura ficaria comigo no apartamento na tentativa de encontrar uma FAT (família de acolhimento temporário), pois deixá-la sozinha entre grades seria agravar ainda mais o seu estado de assustada e traumatizada!

    E, tal como diz em cima, tudo está bem quando acaba bem. Ontem encontrei a família perfeita para a acolher: um casal nos "intas" com um miúdo de 6 anos (a minha pequena ama crianças) e uma menina prestes a vir ao mundo! E depois de uma semana de intensa dedicação lá se deram as despedidas...

    Mas durante esta semana descobri imensas coisas sobre esta minha amiga, e vou aqui deixá-las registadas, porque nunca se sabe se alguém a procura:

    * a Laura é um exemplar puro da raça Galgo Espanhol (chega a custar entre 1.500€ a 2.000€) com cerca de 6-8 anos;

    * tem os dentes serrados, o que indicia ter sido cão pastor, cão de corrida, ou cão de caçador;

    * tem as orelhas tatuadas (2MR - YB39), e não sendo um registo português, apresenta grandes semelhanças ao tipo de registo francês;

    * a Laura é claramente uma cadela treinada, mas nunca respondia aos chamamentos em português, acabando por reagir muito bem aos assobios. Depois de termos percebido que o registo poderia ser francês, experimentámos dar-lhe palavras de ordem naquela língua românica, e a sua percepção aumentou;

    * nunca teve crias, nem tem sinais de operação [por isso pode ainda procriar, contrariando a ideia de abandono. Qual o interesse de abandonar um animal tão valioso, que pode ainda fazer lucrar os seus donos? - Na verdade para mim é tão grande o crime de abandonar um cão com pedigree, como um street-dog puro (leia-se, rafeiro)].
    Por tudo isto, e apesar de a Laura - parece que agora o seu nome vai ser Fifi - estar muito bem entregue, vou continuar em busca da sua verdadeira identidade, porque não posso negar a ideia de que possa ter sido perdida, e alguém andar desesperadamente à sua procura! Se alguém aqui chegar através das coordenadas descritíveis desta minha nova amiga, e souber da sua origem, por favor não hesite em contactar-me através do e-mail.

    Aproveito e deixo também o apelo a todos de poderem garantir um final feliz a pelo menos um dos milhares de animais abandonados que se vêem por esse país fora, principalmente nesta estação do ano! É um desafio...

    Não deixem de ler também um dos casos mais atrozes no que toca a abandono de animais!
    Leiam, e ofereçam o seu contributo!

    Obrigada a todos os que me leram e se preocuparam com a minha nova, mas eterna, amiga Laura!

    Etiquetas:

    A Laura precisa de uma nova casa quarta-feira, julho 27, 2005

    «Olá! Eu sou a Laura, uma cadela galgo muito meiga, dócil e sociável. Até há bem pouco tempo fui leal e uma grande amiga para uma família. Só que eles foram de férias, e esqueceram-se de me levar com eles, como se de uma simples bagagem se tratasse.

    Fiquei quase um mês abandonada junto de um condomínio onde quase todos os moradores me tratavam bem. Acontece que entre tantos amigos, houve alguém que me traíu, chamando um homem do canil para me levar com ele e entre paredes cinzentas acabar com a minha vida...

    Uma amiga resgatou-me a tempo e fez uma viagem de 130 kms comigo. Neste momento estamos juntas num apartamento minúsculo em Aveiro, mas para além de eu não ter espaço sequer para me mexer, ela tem de me esconder da senhoria e de outras pessoas que dividem o apartamento com ela.

    Estou demasiadamente assustada, mas se me acarinhares eu confio em ti. Preciso urgentemente de alguém disposto a dar-me muitos mimos para conseguir ultrapassar este trauma.

    Por favor, ajuda-me!»


    Quem me puder ajudar numa solução para esta menina linda contactem-me. Também eu estou assustada por não saber como a posso ajudar!

    Obrigada!

    Etiquetas:

    Porque a Tortura não pode ser apelidada de Cultura segunda-feira, julho 25, 2005

    Hoje vou escrever o que me apetece, conforme me apetece, sem estar com grandes preocupações no que respeita ao politicamente correcto. Porque me apetece...

    Há poucos dias noticiei no
    P'los Animais uma manifestação anti-touradas da ANIMAL e da Peta, agendada para o dia de ontem, 24 de Julho, na Póvoa de Varzim. A manifestação tinha tudo para ser bem original, e resultou exactamente nisso, numa mostra criativa, capaz de demover alguns menos aficcionados.

    Quando cheguei reparei logo que estávamos em duas frentes: de um lado os activistas pelos Direitos dos Animais em bikini, calções de praia, pareos, etc., sob o lema "Eu prefiro ir à praia do que à tourada"; do outro, os mentecaptos que insistem em continuar a frequentar um espectáculo bárbaro que ultrapassa as minhas barreiras de entendimento. Empunhávamos cartazes, e lançávamos palavras de ordem como:

  • Tourada é Tortura; não é Arte, nem Cultura
  • Sofrimento não é Divertimento
  • Direitos dos Animais são fundamentais
  • (...)

    Do outro lado, com cartazes improvisados em cartão, liam-se as frases "Azambuja prezente sempre" ou "Deixeim-se de marmeladas; venham às touradas". Sim, os erros são conscientes, porque precisava mesmo de os transcrever conforme li. Se dúvidas havia de que os aficcionados por este dito espectáculo eram pessoas diminuídas mentalmente, ficaram logo esclarecidas: estas pessoas não sabem sequer escrever correctamente, à semelhança de uma criança na 2ª classe (com a diferença de que estas têm todo um futuro para aprender!).

    No meio da frente dos apoiantes das touradas um fulano exibia um t-shirt com um touro e saltava que nem um macaco (com todo o respeito para os macacos). Torna-se difícil manter o nível mediante estas mostras de pobreza de espírito.

    Houve quem nos aplaudisse, quem nos seguisse até à praia, mas houve também um grupo de peixeiras (literalmente!) que nos insultou gravemente...

    Agora a minha dúvida reside num factor muito particular. Não critico as pessoas que têm instintos sádicos. Critico sim, os que os têm, mas os descarregam em criaturas inocentes, a quem não é dado o direito de livre-arbítrio. Por isso critico toureiros, forcados, matadores, e todas as bestas que drogam um touro para poderem fingir-se de valentões (sim, para os que não sabem: nunca se haviam questionado do porquê de um animal daquela envergadura não conseguir derrubar mais afincadamente um pequeno grupo de homens?).

    Então, e muito directa e explicitamente, se têm prazer em torturar e assistir ao sofrimento de outro ser, porque raio não praticam sexo sado-masoquista com as esposas em casa???

    Que me perdoem os animais, porque não são estes os argumentos que devemos utilizar na sua defesa. Mas apeteceu-me...

    Para quem quiser ler algo bem mais sério e informativo acerca das touradas, por favor visite o
    Grupo de Libertação Animal.

    Por ora ficou a minha perplexidade traduzida na estupidez ao mais baixo nível (depois do que vi ontem, por favor não exijam tanto de mim)...

    Etiquetas:

    2 em 1
    Versão concentrada
    sábado, julho 23, 2005

    Pois se em tempos idos me queixei do anonimato na blogosfera assistindo à criação de elos através de um fenómeno que parece não resistir às novas tecnologias (primeiro foi em papel, depois via sms, depois ainda por e-mail), eis que sou atingida por mais duas correntes blogosferianas! (Já havia respondido a uma, a convite da minha querida Kitty.)

    A
    Dona do Café mais aprazível do Mundo, qui çá até da Europa [] enrolou-me na fita do cinema, e a Principessa, que serve umas Vodkas Maracujá óptimas, deu-me música.

    Perdoam-me o atraso considerável? Dou-vos agora as mãos...

    *****

    Corrente Cinematográfica

    1. Qual o último filme que viste no cinema?
    Não me lembro! A sério que não... Já lá vai algum tempo (malditos exames!!).


    2. Qual a tua sessão preferida?
    Depende! Se for sozinha (hmm, que saudes tenho - o balde de pipocas e eu ) prefiro a primeira sessão da tarde (vulgo matinée); se a companhia for mais ou menos (mais p'ra menos, do que para mais), a sessão logo a seguir ao jantar (assim despacha-se logo a coisa); mas se a companhia valer mesmo a pena, gosto da cumplicidade da última sessão!


    3. Qual o primeiro filme que te fascinou?
    Lembro-me de ficar absorta com o enredo do
    Silêncio dos Inocentes (Hello, Clarice!), mas o verdadeiro fascínio nasceu com O Corvo. Aliás, ainda hoje faço culto a esse filme, à mensagem por detrás de cada acto de violência (não-gratuita, btw), e a cada música daquela que é para mim a melhor O.S.T. de sempre!

    4. Para que filme gostarias de ser transportado?
    Chamem-me de lamechas, pirosa, romântica-de-beira-de-estrada, mas os cenários de
    Notting Hill deslumbram-me! Simples, mas glamorosos!

    5. E, já agora, que personagem de filme terias gostado de conhecer um dia?
    Esta resposta é apenas inteligível para indivíduos do sexo feminino (ou deverei dizer indivíduas?): as personagens Danny Ocean (
    George Clooney) e Rusty Ryan (Brad Pitt) no filme Ocean's Eleven. O charme... A rebeldia... Impossível de resistir!

    6. Que actor / actriz, produtor(a), realizador(a), argumentista gostarias de convidar para jantar?
    Para não acharem que sou uma tarada-à-solta-salve-se-quem-puder, convidaria apenas mulheres. 3 fabulosas mulheres que deram cartas e espalharam talento em muitos anos de carreira:
    Julia Roberts (the role-model), Sandra Bullock e Jodie Foster.

    7. A quem vais passar o testemunho?
    Ora bem, depois de muito pensar... Gostava de conhecer as respostas
    deste amigo (será que depois do Fahrenheit 9/11 ele ainda vai ao cinema?) e, se não for pedir muito, deste também (afinal sempre estou com curiosidade de saber o que ele vê depois da frustração do quase-Óscar).

    *****

    Top 5 Musical

    «List five songs that you are currently digging. It doesn't matter what genre they are from, whether they have words or even if they're any good but they must be songs you're really enjoying right now. Post these instructions, the artist and the song in your blog along with your five songs. Then tag five other people to see what they're listening to.»

    1) O grande e fenomenal êxito "Eu sou aquele que te quer, e mais niguém", by
    Excesso
    2) A excelente e criativa melodia "Pão com manteiga é tão bom", por
    Tino de Rans
    3) A harmoniosa melodia do "Deixei tudo por ela", ao som da voz do magnífico, do grande, do incontornável,
    Zé Cabra (com todo o respeito para as cabras)
    4) "Amor, amor, desliga a televisão,...", uma letra profunda pela nossa querida
    Micaela
    5) "Mister Gay, já não sou uma criança / Mister Gay, tenho muito pra dar / Mister Gay, não me sais da lembrança / Mistery Gay, eu nasci pra te amar"

    Aha, aha, aha... Pensaram que era sério, né? Posso ter muitos defeitos, mas de falta de gosto não me acusem! Aqui vai. Desta vez é a sério:

    1) Don't panic -
    Coldplay
    2) It can't rain all the time - Jane Siberry
    3) Bent 4 you -
    Alanis Morissette
    4) I Want To Believe You -
    Lori Carson & Paul Haslinger
    5) Landslide -
    Smashing Pumpkins

    Agora passo a batata quente ao
    amigo dos ex-caracóis, à mãe solteira, àquela que renovou o conceito de pisca-pisca, e à menina que já não é bebé! Sempre quero saber onde vão buscar aquela magnífica e sempre surpreendente inspiração que tão bem os caracteriza!

    Aproveito as correntes para desejar
    Um excelente fim-de-semana
    a todos os que "tropeçarem" neste blog por estes dias!
    Enjoy the sun...

    Etiquetas: , ,

    Re-Definições ao Vivo ::: Grandes Recordações sexta-feira, julho 22, 2005

    Ontem pegaram em mim (salvo seja...) e levaram-me a recordá-los ao vivo no Porto!


    Foi bom ouvir "a doninha" de novo!




    Talvez se regozijem ao som de:

    Olá, nina, quero tratar de ti
    Dar-te este mundo e o outro tenho tudo aqui
    Chega só um pouco perto de mim
    Acredita que nunca me senti assim


    Mas eu cá continuo a preferir:

    Nunca me deixes, preciso de ti
    O amor é uma loucura e tu precisas de mim
    Em qualquer altura, em qualquer lugar
    Sinto a tua presença até no meu olhar

    Etiquetas:

    Hoje... terça-feira, julho 19, 2005

    ...estou radiante!!

    * Não, não vou casar!

    * E sim, ainda continuam a cometer inúmeras atrocidades contra os meus queridos amigos animais não-humanos!

    * Não, não descobri que estou grávida!

    * E sim, a guerra ainda continua...

    Permitam-me apenas sentir-me fulgurante, brilhante, contente, plena de alegria, feliz, esplêndida...

    É que finalmente fiz a última cadeira do meu plano curricular. Já só falta o estágio para concluir a licenciatura! Aquela que eu achava que não ia fazer nunca! A cadeira que me dava pesadelos, causava suores frios e me fazia sentir frustrada! Portanto hoje, e se o Mundo me permite o egoísmo, estou feliz!


    Acho até que vou dançar!!!
    WAKE
    WINHA

    Etiquetas:

    Dica da Semana segunda-feira, julho 18, 2005

    Mais vale esperar pelo sinal verde para atravessar, para evitar um voo contra a vossa vontade!



    [Ainda não esqueci aquele atropelamento! Sexta-feira @ Av. 24 de Julho, Lx]

    A propósito de atropelamentos... A história mais gira que ouvi até hoje:
    1998 @ Torres Vedras ::: Um indivíduo foi atropelado pela carrinha de um amigo meu. Nada de especial! Entendidos, foi cada um para seu lado.

    Nesse mesmo dia, mas já à noite, o destino colocou-os no mesmo caminho de novo, e como o "fado" parece ser por vezes bem irónico, a porta traseira da carrinha desse amigo abriu-se (inexplicavelmente!!!) indo atingir o indivíduo que havia atropelado pela manhã, que por aquele altura passeava na berma da estrada...


    Há por aí mais histórias giras para partilhar?

    Etiquetas: ,

    Abate de Árvores - Baixa de St.º António, Aveiro domingo, julho 10, 2005

    Imaginem acordar de manhã, olhar pela janela, e poder apreciar este cenário paradisíaco. Felizmente eu sou uma das privilegiadas!

    Agora imaginem acordar de manhã com o barulho de motosserras, olhar pela janela, e perceber que estão a abater as árvores daquele local. Não existem palavras para descrever o choque... Aconteceu no início desta semana!

    Mais chocante ainda foi entender que este atentado contra a Natureza veio no seguimento das queixas de alguns moradores, pois as árvores, para além de sujar a roupa nos estendais (com o pólen!! ), encobrem as ditas obscenidades de alguns casais de namorados!!

    E assim se comete um atentado contra a Natureza, mas também uma ofensa ao intelcto de todos os que conseguem perceber que aquele parque suporta parte da estabilidade ambiental da cidade de Aveiro.

    Por tudo isto criámos uma petição, e assim solicitamos a todos os amantes da Natureza uma assinatura, para que logo que possível possamos exigir responsabilidades à Câmara Municipal desta cidade!


    Pedimos ainda que se associem a nós na maior divulgação desta moção! Obrigada!

    Etiquetas:

     

     
     
    |Voltar ao Topo|