Voz Oblíqua: Junho 2007
 
    The Voice Mail

 

Voz Oblíqua

Voz: [subst. fem.] Produção de sons emitidos no ser humano pela laringe com o ar que sai dos pulmões; grito; clamor; linguagem; fig. opinião; poder; inspiração; conselho; sugestão. Oblíqua: [adj. fem.] enviesado; torto; vesgo; fig. indirecto; dissimulado; ambíguo; dúbio.
 
 
 

Disse-se em...

  • Fevereiro 2005
  • Março 2005
  • Abril 2005
  • Maio 2005
  • Junho 2005
  • Julho 2005
  • Agosto 2005
  • Setembro 2005
  • Outubro 2005
  • Novembro 2005
  • Dezembro 2005
  • Janeiro 2006
  • Fevereiro 2006
  • Março 2006
  • Abril 2006
  • Maio 2006
  • Junho 2006
  • Agosto 2006
  • Dezembro 2006
  • Janeiro 2007
  • Fevereiro 2007
  • Março 2007
  • Abril 2007
  • Maio 2007
  • Junho 2007
  • Current Posts
  • Marcadores / Categorias

  • Adopção
  • Agradecimentos
  • Amigo(a)s
  • Animais não-humanos
  • Apelos
  • Blogs
  • Confissões
  • Contribuições
  • Correntes
  • Crónicas
  • Dedicatórias
  • Efemérides
  • Emoções
  • Entretenimento
  • Exasperações
  • Família
  • Filmes
  • Glórias e Vitórias
  • História e Estórias
  • Imagens
  • Livros
  • Lugares
  • Música
  • Momentos embaraçosos
  • Natal
  • Novidades
  • Oops...
  • Opiniões
  • Páscoa
  • Politiquices
  • Recordações
  • Retóricas
  • Revoltas
  • Rir é o melhor remédio
  • Solidariedade
  • Sugestões
  • Teasings
  • Teatro
  • Televisão
  • Testes
  • Trabalho
  • Vida real

  • Vozes intercessoras

  • A Ouvinte do Bikini Laranja
  • About last Night
  • Adorei estes Dias
  • Amar-ela
  • Baton de Cieiro
  • Blogotinha
  • Cidade Mágica
  • Confidências
  • Cumentarius Ignorantes
  • Divas & Contrabaixos
  • Efeito Fotoeléctrico ou Introdução à Teoria da Relatividade Restrita
  • Espelhos e Labirintos
  • EuE
  • Fábulas
  • Fabulosamente Louca
  • Farinha Amparo
  • Francisco del Mundo
  • Lote 5 - 1º Dto.
  • Mesa de Café
  • Nimby Polis
  • Notas de Aveiro 1.9
  • O Blog que não e meu
  • O Polegar Verde
  • Palavras ao Acaso
  • Palavras entre Palavras
  • Pandora's Box 2.0
  • Pé de Meia
  • Pseudoblog
  • Respostas Paralelas
  • Voz em Fuga
  • Unknown
  • A Revolta dos Pastéis de Nata
  • Carlos Moura
  • Corpo Dormente
  • Espero bem que não...
  • Gato fedorento
  • João Seabra
  • Blogopédia
  • Consultório da Kitty
  • Designed by Xilla

      Hit Counter

      Contagem decrescente para a caça mais atroz do mundo inteiro...

      ANIMAL

     
    Silêncio Absoluto domingo, junho 24, 2007

    Já tinha acontecido ficar sem ouvir durante uma semana. Não recomendo! Graças a Deus ainda não aconteceu deixar de ver durante uma semana, e prefiro não me recomendar. Podia, talvez, deixar de sentir durante uma semana. Só para saber como era, logo eu, que sinto tanto e tanta coisa ao mesmo tempo! O que nunca me tinha ocorrido era a possibilidade de deixar de falar durante uma semana. E tem sido uma estranha descoberta!

    Silêncio AbsolutoPois é, começou por ser uma rouquidão característica de uma gripe, só que o timbre foi descendo vertiginosamente, até alcançar a total incapacidade de emitir sons! Uma tarefa tão simples, quanto atender um telefone, torna-se impraticável. Porém, um objecto idêntico - o telemóvel - serve como base de comunicação para usar com as pessoas do meu lado: o que quero dizer, escrevo em forma de sms que mostro ao meu interlocutor. Primeiro experimentei a técnica da caneta e do bloco, mas as folhas não pareceram suficientes!

    Alguma vez vos aconteceu? Eu nunca imaginei... Eu, que adoro uma boa conversa e que, tal como já me disseram várias vezes, falo pelos cotovelos, ando calada há dias, há demasiados dias!

    Pela primeira vez na vida sou forçada a ouvir tudo aquilo que o mundo tem para me dizer sem a possibilidade de retorquir. E ouvem-se tantos disparates... Mas deixam-se de dizer outros (ou pelo menos eu deixo)!

    Este estado de silêncio absoluto tem algumas coisas engraçadas: as pessoas que percebem que eu não falo assumem - em generalidade - que este é o meu estado constante, e olham-me com compaixão. E das duas, uma: ou falam comigo num sussurro quase surdo (o que até faz sentido, se pensarmos que os outros sentidos se apuram quando perdemos um deles), ou berram literalmente!!! E gesticulam. Gesticulam muito.

    O diagnóstico? Paralisia das cordas vocais com origem nervosa. Por isso há que manter a calma até poder descarregar de novo todas as minhas palavras!!!!!

    Etiquetas:

    Momento "Mais valia estar calado(a)" - V domingo, junho 17, 2007

    @UniversidadeContexto: Aula de Linguística Alemã numa qualquer faculdade de letras. Uma aluna lê em voz alta um texto em alemão medieval. No alto da sua arrogância o professor interrompe-a para lhe corrigir a pronúncia no verbo „kümmern“.

    - Menina, não sabe como pronunciar o „u“ com umlaut em Alemão? - Sim, professor, sei. „Kümmern“! (Eu tenho a certeza que ela o estava a fazer correctamente, mas...)
    - Mas será que a menina não percebe? Lê-se „kümmern“ e não „kummern“.
    - Küüüüüüüümmern“... Está melhor assim?
    - Claro que não está nada bem assim! A menina nunca ouviu um açoriano a falar? Não sabe como eles pronunciam os "u's"?

    Errr... ela é... açoriana!!!

    Etiquetas: ,

    Sabiam que... domingo, junho 10, 2007

    ...antigamente, quando uma rapariga era desflorada, era presenteada com uma máquina de costura pelo seu mais-que-tudo? Isso justifica o talento inquestionável que as nossas avós têm para a costura!!!


    As nossas avozinhas e as máquinas de costura


    P.S.: E depois vêm com falsos moralismos para cima da nossa geração. Hipocrisia…

    Etiquetas:

     

     
     
    |Voltar ao Topo|