Voz Oblíqua: Agosto 2006
 
    The Voice Mail

 

Voz Oblíqua

Voz: [subst. fem.] Produção de sons emitidos no ser humano pela laringe com o ar que sai dos pulmões; grito; clamor; linguagem; fig. opinião; poder; inspiração; conselho; sugestão. Oblíqua: [adj. fem.] enviesado; torto; vesgo; fig. indirecto; dissimulado; ambíguo; dúbio.
 
 
 

Disse-se em...

  • Fevereiro 2005
  • Março 2005
  • Abril 2005
  • Maio 2005
  • Junho 2005
  • Julho 2005
  • Agosto 2005
  • Setembro 2005
  • Outubro 2005
  • Novembro 2005
  • Dezembro 2005
  • Janeiro 2006
  • Fevereiro 2006
  • Março 2006
  • Abril 2006
  • Maio 2006
  • Junho 2006
  • Agosto 2006
  • Dezembro 2006
  • Janeiro 2007
  • Fevereiro 2007
  • Março 2007
  • Abril 2007
  • Maio 2007
  • Junho 2007
  • Current Posts
  • Marcadores / Categorias

  • Adopção
  • Agradecimentos
  • Amigo(a)s
  • Animais não-humanos
  • Apelos
  • Blogs
  • Confissões
  • Contribuições
  • Correntes
  • Crónicas
  • Dedicatórias
  • Efemérides
  • Emoções
  • Entretenimento
  • Exasperações
  • Família
  • Filmes
  • Glórias e Vitórias
  • História e Estórias
  • Imagens
  • Livros
  • Lugares
  • Música
  • Momentos embaraçosos
  • Natal
  • Novidades
  • Oops...
  • Opiniões
  • Páscoa
  • Politiquices
  • Recordações
  • Retóricas
  • Revoltas
  • Rir é o melhor remédio
  • Solidariedade
  • Sugestões
  • Teasings
  • Teatro
  • Televisão
  • Testes
  • Trabalho
  • Vida real

  • Vozes intercessoras

  • A Ouvinte do Bikini Laranja
  • About last Night
  • Adorei estes Dias
  • Amar-ela
  • Baton de Cieiro
  • Blogotinha
  • Cidade Mágica
  • Confidências
  • Cumentarius Ignorantes
  • Divas & Contrabaixos
  • Efeito Fotoeléctrico ou Introdução à Teoria da Relatividade Restrita
  • Espelhos e Labirintos
  • EuE
  • Fábulas
  • Fabulosamente Louca
  • Farinha Amparo
  • Francisco del Mundo
  • Lote 5 - 1º Dto.
  • Mesa de Café
  • Nimby Polis
  • Notas de Aveiro 1.9
  • O Blog que não e meu
  • O Polegar Verde
  • Palavras ao Acaso
  • Palavras entre Palavras
  • Pandora's Box 2.0
  • Pé de Meia
  • Pseudoblog
  • Respostas Paralelas
  • Voz em Fuga
  • Unknown
  • A Revolta dos Pastéis de Nata
  • Carlos Moura
  • Corpo Dormente
  • Espero bem que não...
  • Gato fedorento
  • João Seabra
  • Blogopédia
  • Consultório da Kitty
  • Designed by Xilla

      Hit Counter

      Contagem decrescente para a caça mais atroz do mundo inteiro...

      ANIMAL

     
    Nem sempre... sábado, agosto 19, 2006


    nem sempre há luz ao fim do túnel
    nem sempre o fundo se deseja
    nem sempre o que se deseja se pode comprar
    nem sempre se pode comprar um sonho
    nem sempre os sonhos duram até de manhã
    nem sempre as manhãs são quentes
    nem sempre o quente oriunda de coração frio
    nem sempre o frio fecunda lágrimas
    nem sempre as lágrimas seguem o mesmo caminho
    nem sempre o melhor caminho é a loucura
    nem sempre a loucura leva à paixão
    nem sempre a paixão é amor
    nem sempre o amor se deixa amar
    nem sempre amar é sexo
    nem sempre o sexo é bonito
    nem sempre o bonito traz amigos
    nem sempre os amigos sorriem
    nem sempre o sorriso é doce
    nem sempre o doce termina o amargo
    nem sempre o amargo é um desgosto mal lembrado
    nem sempre um desgosto é um dissabor
    nem sempre um dissabor morre quando nasce prazer
    nem sempre o prazer começa com um olhar
    nem sempre um olhar termina com um beijo
    nem sempre um beijo é sentido
    nem sempre se sente o que se toca
    nem sempre se toca o que se vê
    nem sempre se vê o que se imagina
    nem sempre se imagina o fim
    nem sempre o fim é mentira
    nem sempre a mentira é tudo
    nem sempre tudo pode durar

    Etiquetas:

     

     
     
    |Voltar ao Topo|