Voz Oblíqua: Crónicas da Vida Real - XI
 
    The Voice Mail

 

Voz Oblíqua

Voz: [subst. fem.] Produção de sons emitidos no ser humano pela laringe com o ar que sai dos pulmões; grito; clamor; linguagem; fig. opinião; poder; inspiração; conselho; sugestão. Oblíqua: [adj. fem.] enviesado; torto; vesgo; fig. indirecto; dissimulado; ambíguo; dúbio.
 
 
 

Disse-se em...

Patrocí­nios da Voz

  • Design by Stacee Leung
  • Powered by Blogger
  • Images hosted by ImageShack
  • Search Engine by Free Find
  • Comments System by Haloscan
  • FAQs sobre blogs.

    O Valor da Voz:

    A Encadear a Voz:

     
    Crónicas da Vida Real - XI segunda-feira, março 20, 2006

    [Este episódio, de tão hilariante, tinha mesmo de ser aqui transcrito.]

    Ontem à tarde, estava eu em reunião de família numa sala de chá, quando fui abordada por um rapaz que aparentava ter cerca de 20-e-muitos / quase-30 anos. O diálogo foi mais ou menos assim:

    Ele: [Enquanto me cumprimenta com os habituais beijos no rosto, aos quais não tive como fugir.] Olá!
    Eu: [Perplexa.] Olá... erm... conhecemo-nos?
    Ele: Não, mas eu queria apresentar-me. Queres saber o meu nome?
    Eu: [A disfarçar uma gargalhada.] Se tu mo quiseres dizer...
    Ele: Eu sou o André. E tu? Como é que te chamas? Como é o teu nome?
    Eu: Eu sou a Andreia. [Foi a primeira coisa que me veio à cabeça, afinal não lhe ia dizer o meu nome verdadeiro.]
    Ele: Olha, vou-te dar o meu número para tu me ligares amanhã, está bem?
    Eu: Oh André, eu não quero o teu número!
    Ele: Mas porquê? Eu queria que tu me ligasses. [Sentando-se junto de mim na mesa e debruçando-se sobre o seu cotovelo com ar de pensativo.] Se tu não me ligares eu fico desanimado. E se eu ficar desanimado, fico chateado... [Tentou aplicar um ar ameaçador, mas não me convenceu.]
    Eu: Terás de aprender a lidar com isso. Repara... eu gostava que muitas pessoas me ligassem, e não ligam!
    Ele: Eu nunca namorei. Queres namorar comigo? Eu queria experimentar namorar contigo... Eu ganho bem! [Acentuando esta última parte.]
    Eu: [Nesta altura já estava decidida a entrar no jogo da alucinação.] Hoje não, porque estou aqui com a minha família. Mas noutro dia.
    Ele: 'Tá bem! Então quando?
    Eu: [Que queriam que eu fizesse? Que destruísse o coração do rapaz?] Daqui a uma semana. Aqui e à mesma hora...
    Ele: Mas daqui a uma semana a esta hora eu vou ver o jogo do Feirense. Queres vir comigo? Assim já saíamos de mão dada, porque tu és muito bonita e eu queria que os rapazes lá da fábrica te vissem.
    Eu: [Eu sei que não devia rir, mas estava a ser demasiado cómico para ser verdade.] Pronto, está combinado, vamos ao futebol juntos.
    Ele: Onde é que tu moras? É aqui nesta rua, não é?
    Eu: [Na realidade moro a alguns quilómetros de distância, mas que se danasse.] Sim, é mesmo aqui.
    Ele: Não me digas que é mesmo aqui no prédio ao lado.
    Eu: É mesmo aí! Como adivinhaste?
    Ele: Nunca julguei!!! [Com um ar de criança surpreendentemente feliz.]
    Eu: Nunca julgaste o quê?
    Ele: Que viesse morar aqui para este prédio. É tão moderno...
    Eu: Quer dizer: ainda nem sequer assumimos, e tu já queres morar junto comigo?
    Ele: [Com ar resoluto.] Claro que sim!!!

    Pronto, nesta altura pensei que já estava a ser mais assustador do que piadético, e por isso resolvi terminar ali mesmo! Até porque me ensinaram que é feio brincar com coisas sérias.


    O rapaz? Devia ser psicologicamente perturbado! É a única explicação plausível...

    Psicologicamente Perturbado

    [Nota de redacção: o que se segue é uma private joke para alguns amigos visitantes deste blog.] Ainda duvidam que deixaram o meu cartão de contacto no balcão da recepção de um qualquer Hospital Psiquiátrico?

    Etiquetas:

    9 Comments:

    At 20 março, 2006 10:16, Anonymous noisiv said...

    Loucura :)

     
    At 20 março, 2006 11:32, Blogger Lua said...

    Bem, isto não é normal, claro que o rapaz não jogava com o baralho todo (como se diz aqui no porto)!
    Olha lá tens a certeza que ele não te seguiu???
    Eu não confiava!

    Marta

     
    At 20 março, 2006 16:32, Blogger Sara MM said...

    pode ser private.... mas depois do simluacro de assalto... pra mim foi joke q.b....
    fiquei na dúvida... seria a sério??... seria uma aposta??...
    vailávai!!!
    quecenameu!!!
    :o]

    BJs
    PS- o Tropical continua até ao IV :o)

     
    At 20 março, 2006 16:36, Blogger mnica ;* said...

    xiiii!!!

    Passa-se lá cada uma!!

     
    At 20 março, 2006 17:55, Blogger Manhoso said...

    Que linha de engate tão original... vou tentar e depois digo como correu.

     
    At 21 março, 2006 02:16, Blogger brun0.m@rkez said...

    não canso de dizer a tua vida dava Gigabytes de texto...

    só te aparecem tolinhos... =P

    beijos

     
    At 22 março, 2006 17:58, Blogger Luis Capucho said...

    Olá , de facto foi uma historia no minimo original. gostei muito das suas receitas, e tambem do outro blog, se quizer visite-me, talvez me ache mais um "desses" .
    bjs

     
    At 22 março, 2006 17:58, Blogger Luis Capucho said...

    Olá , de facto foi uma historia no minimo original. gostei muito das suas receitas, e tambem do outro blog, se quizer visite-me, talvez me ache mais um "desses" .
    bjs

     
    At 24 março, 2006 20:14, Blogger Alien David Sousa said...

    Hilariante!lol Só podes ter inventado isto?!!! Adorei, ainda me estou a rir e imaginar o que faria numa situação similar!
    Fica bem :)

     

    Enviar um comentário

    << Home

     

     
     
    |Voltar ao Topo|