Voz Oblíqua: Top 5 dos Momentos + Embaraçosos ::: Parte I
 
    The Voice Mail

 

Voz Oblíqua

Voz: [subst. fem.] Produção de sons emitidos no ser humano pela laringe com o ar que sai dos pulmões; grito; clamor; linguagem; fig. opinião; poder; inspiração; conselho; sugestão. Oblíqua: [adj. fem.] enviesado; torto; vesgo; fig. indirecto; dissimulado; ambíguo; dúbio.
 
 
 

Disse-se em...

Patrocí­nios da Voz

  • Design by Stacee Leung
  • Powered by Blogger
  • Images hosted by ImageShack
  • Search Engine by Free Find
  • Comments System by Haloscan
  • FAQs sobre blogs.

    O Valor da Voz:

    A Encadear a Voz:

     
    Top 5 dos Momentos + Embaraçosos ::: Parte I domingo, janeiro 21, 2007

    Interrompo esta emissão para questionar: estaria algum de vocês a ouvir a Mega FM por volta das 09h30 da sexta-feira passada, dia 19 de Janeiro de 2007?

    Sim, então acusem-se: quem ouviu falar na Raquel "Pumba"? Porque eu vou acusar-me: fui eu a entrevistada!!! E no seguimento do relato do episódio na rádio, lembrei-me que seria giro partilhá-lo também convosco! E com isto tive mais uma ideia: criar uma rubrica dos momentos mais embaraçosos de que guardo memória!

    Eis o...

    top 5 dos momentos + embaraçosos


    Momento I

    Primeiro dia de trabalho após o convite irrecusável do pessoal da administração de uma multinacional holandesa no ramo da gestão de empreendimentos comerciais: levantei-me cedinho para não chegar com as normais olheiras, tomei um banho relaxante, hidratei a pele e o cabelo, maquilhei-me, penteei-me e escolhi no armário a roupa mais adequada, bem ao estilo sexy workaholic!


    Entre a papelada crescente em cima da secretária, e os telefonemas em ritmo ininterrupto, quase não tive tempo de respirar... ou de comer. Quando a fome apertou só tinha mesmo como alternativa descer a correr os 74 degraus que me separavam do piso de baixo e ir buscar uma sopa. Assim fiz!

    Só que, como se diz, "a pressa é inimiga da perfeição", o salto da bota do pé direito prendeu-se na bainha esquerda das calças e... caí redonda pelos degraus abaixo, até não ter mais por onde continuar a tombar!!!


    Oops...Quando voltei a mim, tentei recompor-me, e foi quando percebi que o salto da bota se tinha partido, a bainha das calças rasgado e a costura no rabo descosido... Estava ainda a perceber como poderia esgueirar-me dali sem ser vista, quando ouvi um risinho taciturno uns degraus mais acima! Prostrado a olhar para mim estava o administrador nacional da empresa, que havia ido lá naquele dia especialmente para me dar as boas-vindas e me oferecer umas dicas para entrar com o pé direito!

    Ele acabou por não conseguir guardar segredo daquele episódio e em poucos dias todos os meus colegas nos vários pontos do país já tinham ouvido falar da Raquel "nem sempre em pé"...

    Nunca mais vou esquecer tamanha vergonha! Ou uma das... Em breve seguir-se-á o relato das outras.

    Etiquetas: ,

    9 Comments:

    At 22 janeiro, 2007 09:05, Blogger analuíssa said...

    Oooooppppsss que bela entrada...
    Se não te magoaste muito pelo menos é o que importa ;)

     
    At 22 janeiro, 2007 12:11, Blogger Jane & Cia said...

    Hum depois de ter lido uns quantos posts abaixo e ver que a sinceridade é algo que abunda por aí. Resolvo contar um dos momentos embaraçosos: Cheguei certa vez, também ao primeiro dia de trabalho, depois de uma caminhada de 20 minutos à chuva, ensopada até aos ossos, parecia que tinha estado mergulhada com roupa, eu e o meu ex-namorado, que íamos começar ali a trabalhar... tivemos que assistir a uma boa meia hora de gargalhada de todos os colegas... mas a nossa figura assim o mereceu!

     
    At 23 janeiro, 2007 00:46, Blogger OrCa said...

    Em determinada área de atendimento de uma grande empresa, ouvi, pacientemente, a arenga de um cliente faltoso que me mimoseou com aquilo a que vulgarmente se chama uma grande tanga.

    Suportei estoicamente o arrazoado, consciente de que o homem - um aldrabão simpático - me estava a enfiar um barrete e, até, de que ele estava tão consciente disso quanto eu.

    Quando, por fim e após decisão consensual, me libertei daquela encomenda, virei-me de costas para o restante público que aguardava a sua vez e, abanando a cabeça, desabafei com um colega que presenciara a cena: "- Sabes muito, minha preta!...", frase parva que se usa em circunstâncias parvas...

    Quando voltei a cadeira, uma senhora cabo-verdiana, sentada já no lugar do anterior artista, olhava-me com algum constrangimento...

     
    At 24 janeiro, 2007 22:47, Blogger A.J.Faria said...

    Por vezes acontece cenas engraçadas!

    Bjs

     
    At 26 janeiro, 2007 11:58, Blogger johnny handsome said...

    Ora Rakel...Ele há coiss bem mais embaraçosas. O importante é a única lesão ter sido nas bainhas e nas costuras..Das calças e talvez um nadinha nos dourados do amor-próprioe, quem sabe, um traseiro dorido à noite.
    Esse episódio terá certamente contribuído para a tua melhor integração na empresa. Não é todos os dias que um administrador tem a sorte de ver os descosidos de uma funcionária jeitosa ;)))))

     
    At 26 janeiro, 2007 16:27, Blogger Gotinha said...

    É tramado!!
    ah ah

     
    At 27 janeiro, 2007 00:18, Blogger Felina said...

    Meu Deus, querida Amiga!

    Não contaste foi como é que resolveste a situação, para ires trabalhar à tarde,,, por favor, já agora, conta-me para saber como ajir se (algum dia) me acontecer algo semelhante!!!

    Bolas!


    Mil beijinhos,

    Felina!

     
    At 27 janeiro, 2007 00:19, Blogger Felina said...

    agir...

     
    At 10 abril, 2017 08:40, Blogger Doom Black said...

    - thong tin gia xe toyota fortuner 2017 nhap khau
    - tin tuc gia xe tai dongben uu dai nhat tai ha noi
    - gioi thieu gia xe mitsubishi attrage 2017 phien ban hoan toan moi

     

    Enviar um comentário

    << Home

     

     
     
    |Voltar ao Topo|