Voz Oblíqua: "Mulher bem servida em casa não come fora!"
 
    The Voice Mail

 

Voz Oblíqua

Voz: [subst. fem.] Produção de sons emitidos no ser humano pela laringe com o ar que sai dos pulmões; grito; clamor; linguagem; fig. opinião; poder; inspiração; conselho; sugestão. Oblíqua: [adj. fem.] enviesado; torto; vesgo; fig. indirecto; dissimulado; ambíguo; dúbio.
 
 
 

Disse-se em...

Patrocí­nios da Voz

  • Design by Stacee Leung
  • Powered by Blogger
  • Images hosted by ImageShack
  • Search Engine by Free Find
  • Comments System by Haloscan
  • FAQs sobre blogs.

    O Valor da Voz:

    A Encadear a Voz:

     
    "Mulher bem servida em casa não come fora!" domingo, janeiro 28, 2007

    Após largos meses de ócio ininterrupto nesta área, ontem retomei aquele que já foi um velho e bom hábito: o teatro!

    Crise dos 40Usualmente prefiro monólogos, afinal gosto de coisas densas, criativas e culturalmente ricas. Mas uma boa comédia com um grupo de actores em palco não se dispensa. E quando a peça se chama Crise dos 40 e junta 4 bons comediantes portugueses torna-se espectáculo-a-não-perder! E não perdi…


    Crise dos 40 fala aos homens do mesmo modo que Confissões das Mulheres de 30 (que havia visto há quase dois anos) fala às mulheres! Ou seja, fala-se de crises de identidade, da visão da ruína em que a nossa própria vida se tornou, de como temos de recomeçar do 0 quando alguma coisa corre mal… Claro está que as dúvidas, os receios, as questões e as carências são tomadas de jeitos e formas diferentes por homens e mulheres, mas a ironia, o sarcasmo e o humor são idênticos!

    Se uma mulher se começa a preocupar aos 30 com os efeitos da gravidade, aos 40 preocupam-se os homens com o facto de estarem a ficar gordos e carecas… E a curva da felicidade, aquela desenhada pela barriguinha de cerveja, deixa de ser um motivo de orgulho para constituir um pesadelo! Uma década separa a tomada de consciência entre homens e mulheres (mas não se diz por aí que há factores genéticos que atrasam a maturidade do homem em relação à da mulher?), mas vale sempre a pena rir com as exasperações de cada um!!!

    ::: FICHA TÉCNICA :::

    Actores
    [Ou o clube dos taurinos]

    * Almeno Gonçalves *
    (O amigo-da-onça)
    * António Melo *
    (Um amigo. Um confidente. Um homem... que percebe de mulheres. Ou o Rosmaninho!)
    * Joaquim Nicolau *
    (O gordo, careca e abandonado.)
    * Fernando Ferrão *
    (O transtornado psicólogo.)

    Encenação
    * Celso Cleto *

    Voz Off
    * Sofia Alves *
    (Ou a Isabel que nunca ninguém vê.)

    Texto Original
    * Eduardo Galán *
    * Pedro Gomez *

    Tradução
    * Marta Mendonça *

    Etiquetas: ,

    4 Comments:

    At 28 janeiro, 2007 18:17, Blogger Rafeiro Perfumado said...

    Eu espero continuar o macho deslumbrante que sou hoje... pelo menos no último jantar de turma era o único que não tinha barriga e exibia uma farta cabeleira. Mas da forma como eu fiz notar esse facto, desconfio de que nunca mais serei convidado...

     
    At 28 janeiro, 2007 23:45, Blogger brun0.m@rkez said...

    uns atolados de trabalho, outros a passear até ao teatro...

    oh vida injusta!!! :P

    beijo com saudades

     
    At 29 janeiro, 2007 23:10, Anonymous yuri said...

    Com esse quatro a coisa deve ter sido bonita;)

     
    At 30 janeiro, 2007 19:27, Blogger Hindy said...

    Parece-me um bom "programa"!

    Boa semana e beijinhos :o)

     

    Enviar um comentário

    << Home

     

     
     
    |Voltar ao Topo|