Voz Oblíqua: Afinal de Espanha vêm bons casamentos!
 
    The Voice Mail

 

Voz Oblíqua

Voz: [subst. fem.] Produção de sons emitidos no ser humano pela laringe com o ar que sai dos pulmões; grito; clamor; linguagem; fig. opinião; poder; inspiração; conselho; sugestão. Oblíqua: [adj. fem.] enviesado; torto; vesgo; fig. indirecto; dissimulado; ambíguo; dúbio.
 
 
 

Disse-se em...

Patrocí­nios da Voz

  • Design by Stacee Leung
  • Powered by Blogger
  • Images hosted by ImageShack
  • Search Engine by Free Find
  • Comments System by Haloscan
  • FAQs sobre blogs.

    O Valor da Voz:

    A Encadear a Voz:

     
    Afinal de Espanha vêm bons casamentos! quinta-feira, junho 30, 2005

    Foi esta manhã aprovada a moção no parlamento espanhol que permite aos homosexuais do país vizinho poder casar e adoptar uma criança!

    187 votos a favor
    147 votos contra
    4 abstenções

    Ironia... No mesmo dia em que o país vizinho dá um passo em frente rumo ao progresso e à liberdade, estão duas mulheres portuguesas no banco dos réus no Tribunal de Setúbal acusadas da prática de aborto!

    Hipocrisia... No país do lado já quase ninguém julga as opções de cada um, enquanto nós aqui continuamos a ouvir falar de uns tais de "homofóbicos de Viseu", e nada fazemos para acabar com esta vergonha de uma vez por todas!

    Afinal, quem disse que "de Espanha" não vêm "bons ventos, nem bons casamentos" perdeu algum fundamento de verdade! Importar espectáculos bárbaros como o dos touros de morte está tudo bem!! Mas copiar os bons exemplos é mentira, né?

    Por isso, caríssimo-anónimo-que-andou-pelo-meu-blog-a-acusar-me-de-homofóbica, aqui fica a minha oportunidade para lhe dizer que não sou, nunca fui, nem nunca serei contra a liberdade de expressão de cada um, desde que o livre arbítrio de uns, não passe por cima da liberdade e dos interesses dos outros (e por isso mesmo pode continuar do meu lado a apoiar-me pela defesa dos Direitos dos Animais).

    Julgo que, apesar de Portugal ter vivido a Revolução de Abril há mais de 30 anos, os portugueses não estão ainda preparados para o que daí advém! Anseio pelo dia em que o conceito faça muito mais sentido...

    L I B E R D A D E

    Etiquetas:

    30 Comments:

    At 30 junho, 2005 20:03, Blogger mfc said...

    Tão perto e tão longe de Espanha... em quase tudo!

     
    At 30 junho, 2005 20:03, Blogger buggy said...

    Realmente a mentalidade de uma grande parte do povo português, ainda tem muito que evoluir. São todos muito abertos e modernos, mas quando realmente importa mostrá-lo, vê-se a homofobia, o xenofobismo, o racismo e a hipocrisia a vir ao de cima.
    Parabéns, Espanha!

     
    At 30 junho, 2005 21:02, Blogger wind said...

    Ah, grande post:) beijos

     
    At 01 julho, 2005 09:48, Blogger brun0.m@rkez said...

    Maldita a hora que nos tornamos independentes!!!

    Antes preferia ter algum sotaque catalão e "morar" num país um pouco mais desenvolvido, em todos os aspectos!

     
    At 01 julho, 2005 09:58, Blogger Sombra said...

    Tens razão para te indignares! E quem te chamou homofóbica é um bocado limitado de pensamento e de visão. Ou, se calhar, é limitado de "rato" porque não conseguiu fazer o scroll para alcançar o primeiro destaque da Voz Oblíqua na barra da esquerda (falo da Campanha Ex-Aequo)...

     
    At 01 julho, 2005 10:27, Blogger Dumb said...

    Mais uma vez no nosso país só se fará alguma coisa à boleia de espanha...
    Mas primeiro que venha o Aborto

     
    At 01 julho, 2005 12:18, Blogger Didas said...

    Quanto aos nuestros hermanos eu nem os considero tolerantes, considero-os mais radicais. Se é para matar o touro mata-se, se é para atirar tomates atira-se toneladas, se é para berrar berra-se!
    Mas também lá, como cá, há muitas vozes discordantes relativamente a esta lei. É um país profundamente católico, cheio de beatas e padralhada. A diferença é que o parlamento de lá teve mais coragem que o de cá.
    De resto, por mim, cada um faz o que lhe apetecer com quem lhe apetecer desde que não me peça a cama emprestada. Mais tolerante do que isto não há. :)))

     
    At 01 julho, 2005 12:36, Anonymous rui said...

    em mtas coisas tenho orgulho em ser portugues, mas noutras...

     
    At 01 julho, 2005 14:31, Blogger Pecola said...

    E viva o Keith Haring.

     
    At 01 julho, 2005 18:56, Anonymous Anónimo said...

    Eu gostava de saber o que a Revolução de Abril tem a ver com o casamento de lésbicas/homossexuais e o aborto, mas enfim... Esta gente não conhece a história e pensa que sabe tudo nada sabendo.
    A prática de aborto é, segundo a LEI portuguesa, um crime, logo quem o pratica está e bem a ser julgado. E escusam-se de vir para aqui com falsas moralidades e dizer que não deviam ser julgadas porque etc, etc, etc. É crime, ponto final. Se a lei devia ser ou não mudada não é razão válida para se cometer este ou outro crime! O aborto é fundamentalmente um atentado à vida!! Alguém está a matar um ser indefeso e que tem tanto direito à vida como cada um de nós, e não tem culpa nenhuma das circunstâncias que o rodeiam. No entanto, a lei já consagra algumas situações em que o aborto é permitido: quando a mulher foi violada, quando a mulher corre perigo de vida e quando o bebé tem demasiadas deficiências para que possa ter uma vida condigna. Portanto, eu pergunto, quais são os argumentos válidos para as mulheres/homens que defendem a liberalização total do aborto? Será por desejarem que o aborto seja feito sempre ? Ups, o preservativo furou, não faz mal, depois marcas uma operação e resolve-se isso... O prazer carnal não se deve sobrepor ao direito à vida!
    Os casais que têm demasiado filhos para os poderem sustentar devem ou parar pura e simplesmente de fazerem relações sexuais (medida algo extrema mas eficaz), terem o triplo de cuidado durante o acto ou falarem às instituições religiosas/sociais locais e entregarem as crianças a essas instituições aonde elas poderão ter um futuro brilhante e, quiçá, serem uns grandes homens/mulheres na sociedade! Também não caiam no erro típico do português mesquinho e apontarem para o caso da Casa Pia. A Casa Pia tem uma história muito bonita e profíqua em grandes homens para ser totalmente manchada com este ou outros casos pontuais.
    Com o aborto totalmente liberalizado, o futuro da criança não pertencerá a ela mas sim ao juízo dos pais!?! Todos aqui de uma maneira geral defendem (e bem!) o direito dos animais a uma vida condigna. Mas quando se tratam de seres humanos como vocês, preferem que o bebé seja morto, para os pais não terem as consequências do que fizeram durante a noite... poupem-me!
    Quanto ao casamento de homossexuais, não tenho nada contra eles se poderem casar e terem todos os direitos do casal heterossexual, menos num ponto, a adopção de uma criança. A criança deve ter o exemplo de um Pai e de uma Mãe. Ter dois Pais ou duas Mães não é nem nunca será benéfico para a formação psicológica/educacional da criança, para além de ir sofrer pressões psicológicas por parte das outras crianças que conseguem ser muito mais cruéis do que seria desejável. Além disso, e como se trata de uma adopção, qual será a criança com idade para pensar que estando numa instituição deseja ser adoptada por um casal homossexual? A criança deve ter o direito à escolha e a resposta deve ser clara para todos. Só para quem não a quiser ver e se fechar numa bolha de fantasia e irrealidade.

     
    At 01 julho, 2005 19:27, Blogger Wakewinha said...

    Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

     
    At 01 julho, 2005 19:29, Blogger Wakewinha said...

    Caríssimo anónimo!

    Antes de mais bem-vindo ao meu blog, caso tenha vindo por bem e para tecer críticas construtivas! Caso seja para meter nojo, como parece ser o caso, não torne a pôr cá os pés, ou pelo menos tenha a hombridade de dar a cara (ou como quem diz o nome, porque na verdade nunca gostei de cobardes)!

    Pelo que parece apresenta graves problemas de falta de interpretação, por isso o elucido de que a analogia da Revolução dos Cravos teve a ver com uma suposta revolução nas mentalidades há mais de 30 anos! Infelizmente, se vive na mesma sociedade que eu, compreenderá que apesar de tudo, o conceito de "liberdade" não corresponde à sua literalidade! Compreende agora??

    Este post, e porque parece ter mesmo feito imensa confusão aquando da sua leitura, teve única e exclusivamente a ver com a falta de liberdade que os portugueses têm! E é uma coisa que pessoalmente não suporto! Este web loggin não é meu?? Então permita-me escrever o que bem me apetece e apresentar os meus argumentos!

    Não sou a favor do aborto como método contraceptivo! Sou a favor de uma sociedade responsabilizada e consciente, com a possibilidade de fazer opções!

    Quanto ao resto, não vou comentar porque respeito todos os outros que cá vêm por bem, e têm pelo menos a decência de se identificar aquando da sua participação! ;)

    Fique bem*

     
    At 01 julho, 2005 19:59, Anonymous Mitras said...

    Realmente há cada uma...
    Mas k moral tem esta gente para falar se se escondem atrás de uma "capa"???
    Será o medo de represálias? penso k não!!! até porque só lhe ficava bem!!! Sinal de pessoa com postura e carácter!!!
    Neste caso lamento, mas as suas palvras acabam por cair em saco rôto... Pois perdem toda a credibilidade ao remeter-se ao anonimato...
    Não me parece que haja segurança no que disse e para ser sincero xeguei a uma altura k perdi a vontade de lêr o resto... Tamanhas eram as barbaridades que para ali foi debitando!!!
    Qt ao aborto... Pensa k é a lei k fará com k deixe de existir? Engan-se... Pois basta ir ao país vizinho para os mais abastados ou ir ao talho do "Ti-Zé-Carniceiro-lá-da-esquina", para os menos abastados. Essa incongruência e mentalidade tacanha está prestes a acabar... pois o referendo vem aí e desta vez "não há cá pão pra malucos"!!!
    Qt à adopção de crianças... Vc tá a viver em k século? Hello... Secúlo XXI!!! Qta criança não preferiria ter o carinho de alguém... independentemente do sexo... Qta criança tem um pai e uma mãe e no entanto é como se fosse orfã e em mts casos... pior do k orfã... É violentada!!!
    "(...)Só para quem não a quiser ver e se fechar numa bolha de fantasia e irrealidade."... Pelo amor de Deus.... Deixe-se é você de fantasias antiquadas e vá levar na real bolha!!!
    Viva a liberdade em todo o seu explendor!!!

     
    At 01 julho, 2005 20:08, Anonymous Mitras said...

    Sorry... C'os nervos eskeci-me de te mandar beijos Rakel...
    Continua com este Blog de letra maiúscula;)
    Sem dúvida o meu preferido:)

    Beijinhos!!!!!!

     
    At 01 julho, 2005 20:33, Anonymous Pedro F. said...

    Ufa, ufa...
    Porkaria de exames ke me impedem de te visitar!
    Ñ vou comentar pk tudo akilo k eu keria dizer, já tu disseste kom o post. :)
    Ignora kem ñ sabe mais, km é exemplo o anónimo!

     
    At 01 julho, 2005 21:31, Blogger Kitty said...

    Os EUA já acham mesmo que somos uma província espanhola... eu cá não me oponho nada - assim não baralhavam mais os pobrezitos... ;-)

    Esta forma como o aborto anda a ser tratada já me mete nojo. GRRRRRRRRR! :-(

    Beijocas, minha querida, e um excelente fds! =)

     
    At 02 julho, 2005 01:29, Blogger Clara Duarte said...

    "Os casais que têm demasiado filhos para os poderem sustentar devem ou parar pura e simplesmente de fazerem relações sexuais (medida algo extrema mas eficaz), terem o triplo de cuidado durante o acto ou falarem às instituições religiosas/sociais locais e entregarem as crianças a essas instituições aonde elas poderão ter um futuro brilhante e, quiçá, serem uns grandes homens/mulheres na sociedade!"

    e serem violadas pelos Bibis desta vida? eh pah... disseste tanta bosta que a vontade é desatar a disparatar... que troll...

     
    At 02 julho, 2005 04:23, Anonymous ALMINHA said...

    "LIBERDADE PÁ DENTRO DÁ CABEÇA!"
    ...quem quer casar com a carochinha que é tão fofinha e bonitinha? :) bem ainda bem que nuestros hermanos estão crescidinhos nas suas mentalidades.viva :)

     
    At 02 julho, 2005 12:18, Blogger Andreia said...

    Confesso que é uma questão muito polémica...
    No meu entender esta liberdade é positiva, mas tem de ser usada com cuidado. Há factores nomeadamente do desenvolvimento da criança e da discriminação das outras pessoas que no crescimento dela podem condicionar...sao coisas que se tem de pensar.
    Apesar de achar que têm os mesmos direitos...se podem casar e se há amor e um ambiente saudável...:)

     
    At 02 julho, 2005 15:03, Anonymous Anónimo said...

    O respeito por opiniões diferentes da nossa devia ser um dos pilares básicos de uma sociedade sã e civilizada que todos desejamos... Ataquem se conseguirem os meus argumentos, agora serem mesquinhos e atacarem-me a mim, demonstra fraqueza nas convicções e nos ideais, que foram quiçá impostos pela maioria ou pelos amigos que vos rodeiam. É fácil seguir o que a maioria diz, é fácil ir na onda como carneirinhos mansos. Ser convicto, ter ideais e não se importar de provar por A + B aquilo que realmente se acredita, mesmo que não seja tão "in" em certos meios é que se torna mais difícil. A única falha que me apontam e que eu concordo foi o anonimato... acreditem, foi mero esquecimento. O meu nome é Manuel.

    Vou tentar agora responder um a um...:

    Rakel, este blog é seu, pode fazer o que entender. A revolução de Abril retirou do poder um regime caduco e implantou a democracia e a liberdade. Mas não a anarquia! Afirmo mais uma vez que o aborto é crime e portanto quem o comete não é melhor nem pior do que quem rouba, trafica ou mata. Fazer opções sobre uma futura vida, para além do já consagrado na lei portuguesa, funciona apenas como meio contraceptivo. Estou errado? Aponte-me exemplos, se conseguir.

    Mitras, "Mas k moral tem esta gente para falar se se escondem atrás de uma "capa"???". Gostava saber qual é a diferença entre a minha capa, que já disse foi um erro de principiante, e a sua que se apresenta como Mitras. Um nick que só você conhece e usa. Se me chamam a mim de cobarde, você é um cobarde recalcado porque esconde-se atrás de uma capa "nickada".

    Kitty, uma das poucas que não me ofendeu..., se já mete nojo esta forma de tratar o aborto diga porquê.

    Clara, se bosta é ter a frontalidade se ser sincero com o que penso, apresentar argumentos e a minha opinião, ainda bem que só digo bosta. Caiu no erro da generalização, tal como previa no meu 1º post. Só existe um Bibi, o povo é que imagina mais nas outras instituições.

    Manuel

     
    At 02 julho, 2005 15:23, Blogger Dumb said...

    Como fui eu que puxei a conversa para o aborto aqui vai a minha opinião.

    Pessoalmente sou contra, mas ninguém tem o direito de decidir pelos outros. Penso que um aborto não é algo feito de ânimo leve, e cada pessoa tem as suas razões para o fazer.

    Por cá quem tem poder financeiro pode fazer um aborto em segurança, e com a protecção das cortinas economicas. Quem não tem posses sujeita-se a tudo...

    E é por isto que defendo a legalização, para que todos possam ter as mesmas oportunidades.

     
    At 02 julho, 2005 16:08, Blogger Wakewinha said...

    Caríssimo Manuel,

    sim está errado, no sentido de que se o aborto for feito nas primeiras semanas não estamos ainda a falar de matar qualquer ser, mas sim impedir a gestação! Como tive oportunidade de clarificar, não sou a favor do aborto como método contraceptivo, mas no contexto de uma sociedade consciente e responsável, caso algum outro método falhe, não podemos ceder só porque "aconteceu"!

    Tal como o Dumb disse, ninguém tem o direito de decidir por ninguém! Sou a favor da liberdade do indivíduo, desde que as suas vontades não se interponham com as dos outros! E ainda está para vir aquele que me vai convencer de que o aborto não é um direito individual...

    Para além de que quem quer fazê-lo, faz! Infelizmente, sempre nas piores condições!

    Manuel, aproveito para lhe dizer que não o ofendi, porém senti-me ofendida neste meu espaço, na altura em que o Manuel põe em causa o que escrevo e dá um ar jocoso às minhas analogias!

    Aproveito para lhe dizer também que o Mitras é um grande amigo, que não pertencendo à blogosfera de modo algum, tem algum prazer em me visitar, e por isso é sempre bem-vindo cá! Não é uma capa, muito menos um nick... Centenas de pessoas o conhecem por esse nome!

    Se mais argumentos quiseres ver discutidos, apareça por bem! Caso contrário continuarei com a minha opinião, porque na verdade as opiniões são como os... Nevermind!

     
    At 02 julho, 2005 16:10, Blogger Wakewinha said...

    Já agora, Manuel, falando em crimes... Que dizer de matar um animal para o comer quando existem inúmeras alternativas? Temos aqui pano para mangas, né? Mas lá está, é a minha opinião! E vale o que vale! ;)

     
    At 02 julho, 2005 17:22, Anonymous Mitras said...

    Obrigado Rakel pelas tuas palavras... Era mesmo isso k ía dizer a caro amigo Manuel Anonymous... k apaesar de assinar manuel continua com o nick anonymous... enfim!!!
    Sim!!! Sou um grande amigo da Raquel por isso... "caro amigo" não há capa nenhuma...
    E digo akilo k tiver a dizer independentemente de dakilo k as pessoas possam pensar... A assertividade e uma das minhas maiores qualidades.
    Fike bem

    Beijokinhas Rakel... (agora não me eskeci;)) Até podem ser pelo ****o ***o Ihihihihi

     
    At 02 julho, 2005 18:02, Blogger Wakewinha said...

    Ai ai ai ai ai... Essas beijoquinhas! Não sei, não!
    Mas pronto, escreve lá pra finalmente te dar voz aqui no Voz Oblíqua... ;)

     
    At 03 julho, 2005 00:39, Blogger SaltaPocinhas said...

    Xiiiiiii! isto ferve! Há uma coisa que eu digo sempre que é o que realmente me chateia. E que tanto serve para o aborto como para casamentos homossexuais.
    As pessoas do "contra", normalmente histéricas, reagem como se ganhando o "sim" no referendo do aborto fossem todas obrigadas a abortar! E, sendo os casamentos homossexuais legalizados fossem todos obrigados a casar com um gajo do mesmo sexo! Mas fiquem descansados que não é isso! Se o aborto for legalizado, só o faz quem quer, ninguém será obrigado a fazê-lo! A única diferença é que será feito em condições por profissionais. Nesta discussão sobre o aborto parece-me que as mais histéricas do "não" são as abortadeiras que iriam assim perder o seu ganha-pão! E há pessoas, como eu, que são a favor da legalização mas contra o aborto...Eu não o faria, mas não tenho o direito de impor a minha opinião aos outros. Com os homossexuais a mesma coisa: não sou homossexual, mas não tenho nada contra os que o são! que façam lá a vida deles, desde que não seja na minha cama, como diz a Didas. mas porque se discute tanto uma coisa tão simples? quem quer come, quem não quer não come...

     
    At 03 julho, 2005 06:11, Blogger Wakewinha said...

    Olha, Salta Pocinhas, mais nada! Puseste a questão do melhor modo: sou a favor da legalização, mas contra o aborto! Assim seja... Pessoalmente duvido que o fizesse! Mas não censurarei nunca quem o faça em consciência! ;)

     
    At 03 julho, 2005 14:24, Anonymous José Dias said...

    Pelos vistos isto tem andado a fervilhar um pouco por estes lados...
    Analisei alguns pontos q necessitariam de ser mais esclarecidos como por exemplo, o facto de os casais homossexuais adoptarem uma criança e não ter a aprovação da sociedade, nao implica q estes não tenham a capacidade de atribuir à criança akilo q ela mais necessita e deseja... é verdade q o preconceito da união entre os dois sexos e a consitiuição de família faz um nó na cabeça de muita gente, daí termos uma sociedade conservadorista e pouco racional neste assunto. A meu ver pouco importa se os pais sigam um estilo de vida diferente do padrão comum da sociedade em geral, sejam eles "pai" e "pai" ou "mãe" e "mãe". É um direito constitucional e não um julgamento de valores. Em relação ao aborto sou a favor, qq mulher q opte por nao kerer ter o filho tem esse livre arbítrio, desde q interrompa a tempo a gestação do feto. A legalização do aborto vai trazer para mtas mulheres a liberdade de escolha, ninguém as reprime pelas suas opções éticas. Direitos fundamentais para cada um!

    Beijo*

     
    At 04 julho, 2005 11:51, Blogger Catarina said...

    É uma pena que haja tantos «Manuéis» na terra. A ideia de imaginar um casal hetero como completamente abstémio (sexualmente falando) ou então uma espécie de fábrica de crianças para institucuionalizar é digna de tratamento psiquiátrico asap. Mas como ainda hoje, segunda feira, 4 de Julho, um professor universitário escrevendo no Público se vem insurgir contra a lei espanhola que permite o casamento entre pessoas do mesmo sexo, estamos preparados para tudo!!!

     
    At 08 julho, 2005 13:48, Blogger pandora said...

    já viste o post sobre a campanha do Renas e Veados??

    entre outras coisas esta assinado com o meu nome, assumido e com rosto que se pode ver na lateral do blog. :))

    e plenamente de acordo ctg neste assunto!

     

    Enviar um comentário

    << Home

     

     
     
    |Voltar ao Topo|