Voz Oblíqua: We are family, I've got all my sisters with me...
 
    The Voice Mail

 

Voz Oblíqua

Voz: [subst. fem.] Produção de sons emitidos no ser humano pela laringe com o ar que sai dos pulmões; grito; clamor; linguagem; fig. opinião; poder; inspiração; conselho; sugestão. Oblíqua: [adj. fem.] enviesado; torto; vesgo; fig. indirecto; dissimulado; ambíguo; dúbio.
 
 
 

Disse-se em...

Patrocí­nios da Voz

  • Design by Stacee Leung
  • Powered by Blogger
  • Images hosted by ImageShack
  • Search Engine by Free Find
  • Comments System by Haloscan
  • FAQs sobre blogs.

    O Valor da Voz:

    A Encadear a Voz:

     
    We are family, I've got all my sisters with me... sábado, maio 28, 2005

    Pois é...

    Depois de «As Obras completas de Shakespeare em 97 Minutos», «Confissões das Mulheres de 30» e um espectáculo menos ortodoxo, o «Levanta-te e Ri», estourei com o resto dos trocos que sobraram para o final do mês n'«A Partilha»! [Raios, que a cultura é muito cara neste país...]


    Image Hosted by ImageShack.us

    Depois de me terem tirado todas as perspectivas com argumentos de que o espectáculo ficava aquém da expectativa, devo confessar que estou surpreendida!

    Surpreendida porque não me lembro de alguma vez ter visto um espectáculo com uma cenografia tão bem conseguida e extremamente bem trabalhada.

    Surpreendida com a prestação de Teresa Guilherme, que no papel de Selma faz ver a muito boas actrizes que por aí andam com o canudo do conservatório na mão (isto só vem provar a minha teoria de que o canudo é, no modo geral, uma perda de tempo; porque se uma pessoas nascer com talento para uma determinada área não precisa de se especializar porque já é especial)...

    O texto envolve-nos em contornos semelhantes ao de uma tragicomédia; ora vamos às lágrimas, ora estamos a rir às gargalhadas! O conceito de "chuva dourada" adquire todo um significado nunca antes explorado! =D E aquela deixa: "Selma, vai apanhar no cú!" com uma resposta típica de mulher desesperada não deixa ninguém indiferente!

    Entre uma e outra falha técnica, foi um excelente programa de sexta-feira à noite! (Agora vou mas é poupar porque não ponho os pezinhos no teatro tão cedo...)


    Sinopse

    Reunidas durante o enterro da mãe, quatro irmãs- - Selma (Teresa Guilherme), Regina (Silvia Rizzo), Maria Lúcia (Rita Salema) e Laura (Patrícia Tavares) reencontram-se após muito tempo de afastamento para fazer um levantamento dos bens da família e discutir as suas vidas.

    Através da partilha dos bens - da venda do apartamento na Lapa à divisão de um serviço de chá de brinquedo - estas irmãs confrontarão as suas opções, destinos, estilos de vida e expectativas. As divergências são inevitáveis, pois seguiram caminhos muito diferentes. Selma, casada com um militar, leva uma vida disciplinada em Campo de Ourique, o seu bairro de eleição. Regina, liberal e esotérica, não costuma se reprimir e tem uma visão "alto astral" da vida. Lúcia teve a coragem de abandonar um casamento convencional e o filho para viver um grande amor nos Estados Unidos. E Laura, a eterna adolescente, revela-se uma intelectual sisuda e surpreende as irmãs com suas opções.

    Além de fazerem um balanço do passado, marcado por revelações e intimidades, as quatro irmãs são obrigadas também a enfrentar novas exigências do quotidiano: Selma, a mais conservadora, tem que lidar com a gravidez de Sandra, a filha adolescente, e Regina, apesar de toda energia positiva, é obrigada a encarar momentos de solidão. Lúcia convive com a rejeição do único filho e quer mostrar às irmãs que é mais do que uma fútil. Laura, por sua vez, uma militante de afirmação profissional e sexual, reaprende a rir com as irmãs mais velhas.

    Enquanto aguardam a divisão dos bens, estas mulheres viverão intensamente afinidades, problemas e diferenças. A turbulenta venda do apartamento representará uma reviravolta nas suas vida: elas sabem que nunca foram tão cúmplices - e tão irmãs.

    Etiquetas: ,

    14 Comments:

    At 28 maio, 2005 20:34, Anonymous Pedro F. said...

    Andas em roda viva...

     
    At 28 maio, 2005 20:49, Blogger Menina_marota said...

    Pois é... até te esqueces da afilhada!!!

    Não fui ver o espectáculo, mas também já ouvi dizer muito bem!!

    Isto de ter filhos adolescentes, só temos mesmo companhia para ir ver a Guerra das Estrelas...

    Já voltei da ausência forçada...

    Um abraço e bom fim de semana :-)

     
    At 29 maio, 2005 02:05, Blogger Wakewinha said...

    Mas querida afilhada, quem se esqueceu? I didn't... No meio das raríssimas visitas q tenho feito, o teu blog está sempre em primeiro lugar... ;)

     
    At 29 maio, 2005 12:34, Blogger wind said...

    Interessante. Aguçaste-me o apetite para ir ver:)bjs

     
    At 29 maio, 2005 19:11, Blogger brun0.m@rkez said...

    umas amigas foram ver e acharam deveras interessante!!

    sem duvida que a Teresa foi a surpresa - pela positiva! (dizem elas)

     
    At 30 maio, 2005 11:15, Blogger David Ponte said...

    Um espectáculo interessante, fiquei curioso.

     
    At 30 maio, 2005 17:25, Anonymous Nanita said...

    Hoje é dia de ir ver Gatos Fedorentos ao vivo! :D

     
    At 30 maio, 2005 17:25, Blogger mfc said...

    è muito longe para ir, mas gostei da tua descrição... foi interessante com toda a certeza!

     
    At 30 maio, 2005 22:22, Blogger Kitty said...

    Ora ainda bem! :)

    Quanto à cultura ser cara... Espera lá pelo aumento do IVA!!!!

     
    At 08 junho, 2005 11:25, Anonymous Anónimo said...

    Querida Raquel,

    se não achasses que o canudo é uma perca de tempo, talvez soubesses que perca é um peixe, o que tu querias escrever era perda...

    Beijo

     
    At 09 junho, 2005 20:53, Blogger Wakewinha said...

    Este comentário foi removido por um administrador do blogue.

     
    At 09 junho, 2005 21:03, Blogger Wakewinha said...

    Querido anónimo,

    Penso que por uma simples gralha não possa generalizar, e quase me acusar de analfabeta ou pessoa sem instrucção!

    Não são para aqui chamadas as minhas habilitações académicas, mas se vier numa perspectiva construtiva, talvez possa encontrar algumas qualidades, não?

    De qualquer modo, quando quiser dizer alguma coisa, faça-o directamente, e identifique-se, pois quando levanto guardas para alguém, não tenho qualquer problema em dar a cara!

    Ah, agora percebo: talvez seja o Cavaco Silva - que prazer tê-lo no meu blog! - que nunca se engana e raramente tem dúvidas!

     
    At 21 junho, 2005 18:20, Blogger Reparador said...

    Lindo.
    A 3za Guilherme em palco, deve ter a leveza de um martelo pneumático a lapidar um diamante.
    Com o perfil da Cow(Cow & Chiken, Cartoon Network, para os conhecedores) eleva qualquer peça da Broadway ao estatuto de Festas do Seixal....eu até curto o Seixal.
    Só faltou dizer a meio: "isso agora não interessa. 1,2, 3 agora é tua vez, ó amiga"

     
    At 07 julho, 2005 17:14, Blogger Jorge said...

    http://www.tvi.iol.pt/programas/programa.php?id=2302
    2005-07-07 00:00:00.0
    NO AR
    Confissões das Mulheres de 30
    Origem: Portugal
    Uma peça original que aborda os temas que afectam as mulheres de 30 anos.
    Preocupações, amores, trabalhos, terrores e glórias das mulheres de 30.
    Confissões baseadas em histórias reais na faixa dos 30, num clima de humor onde alguns dos temas abordados são: casamento, primeiro namorado após a separação, filhos, ex-maridos, tipos de homem no amor, grandes sonhos, sexo, mercado de trabalho, a preocupação com a maturidade.
    Uma peça original do brasileiro Domingos Oliveira, com Fernanda Serrano, Maria Henrique e Margarida Marinho.
    http://www.tvi.iol.pt/programas/lista_programacao.php?data=2005-07-07
    Programação de 7 de Julho de 2005
    22:00 Ninguém Como Tu

    23:00 Mundo Meu

    00:00 Confissões das Mulheres de 30

    02:00 À Queima Roupa

     

    Enviar um comentário

    << Home

     

     
     
    |Voltar ao Topo|